Lucrecia Martel Vem Ao Brasil Para O Lançamento De ‘Zama’

Maior sucesso da argentina em 2017, o filme foi o indicado pela país para concorrer ao Oscar

A diretora argentina Lucrecia Martel desembarca no Brasil para a divulgação do seu novo trabalho, “ZAMA” que estreia dia 29 de março, terá press day no dia 26 de março com a presença da diretora, do ator Matheus Nachtergaele e da produtora Vania Catania.

Com distribuição da Vitrine Filmes e coprodução de Vania Catani, da Bananeira Filmes, o longa retrata a trajetória de Zama (Daniel Giménez Cacho), um oficial da Coroa Espanhola nascido na América do Sul que aguarda uma carta do Rei autorizando-o a se transferir da cidade em que vive estagnado para um lugar melhor. Para garantir a transferência, Zama se ver forçado a aceitar todas as ordens e tarefas que são passadas por consecutivos governantes ao longo dos anos. Quando percebe que a tal carta não vai chegar, ele decide se unir a um grupo de soldados em busca de um perigoso bandido.

Lucrécia Martel é um dos maiores nomes do cinema contemporâneo, seus filmes anteriores,A Mulher sem Cabeça e A Menina Santa, tiveram estreia mundial no Festival de Cannes, e O Pântano, no Festival de Berlim. ZAMA teve estreia mundial no Festival de Veneza e recentemente foi indicado ao Prêmio Sur 2017, uma das principais premiações argentinas, em 11 categorias, entre elas, melhor filme, melhor diretor, melhor ator e melhor direção de arte – com a brasileira Renata Pinheiro. Coproduzido com o Brasil, o filme já passou pelos Festival do Rio 2017, 41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e X Janela Internacional de Cinema, no Recife.

SINOPSE 

​Zama, um oficial da Coroa Espanhola nascido na América do Sul, aguarda uma carta do Rei que deverá autorizá-lo a se transferir da cidade em que vive estagnado para um lugar melhor. Sua situação é delicada: ele deve se certificar de que nada ofusque sua realocação e se vê forçado a aceitar submissamente todas as tarefas que lhe são confiadas por consecutivos governadores que vêm e vão enquanto, ele fica para trás. Os anos passam e a carta do Rei nunca chega. Quando Zama percebe que tudo está perdido, se junta a um grupo de soldados que saem a perseguir um perigoso bandido.

SOBRE A DIRETORA

Nascida na Argentina, a cineasta Lucrecia Martel tem colocado seu trabalho na comunidade internacional do cinema. ZAMA (2017) é seu quarto filme após escrever e dirigir A MULHER SEM CABEÇA (La Mujer Sin Cabeza, 2008), A MENINA SANTA (La Niña Santa, 2004) e O PÂNTANO (La Ciénaga, 2001). Os filmes da diretora têm sido aclamados nos mais importantes festivais de cinema: Cannes, Berlim, Veneza, Toronto, New York, Sundance e Rotterdam, entre outros. Uma retrospectiva do seu trabalho tem sido amplamente exibida em festivais de cinema e instituições renomadas como as universidades de Harvard e Berkeley ou no London Tate Museum. Ela tem formado parte em júris oficiais de Berlim, Cannes, Veneza, Sundance e Rotterdam, e já ministrou aulas ao redor do mundo.

SOBRE A BANANEIRA FILMES

Fundada em 2000 pela produtora Vania Catani, a Bananeira Filmes é uma das mais prestigiadas empresas produtoras de cinema no Brasil, onde a característica principal são os filmes de grande rigor artístico. Produziu mais de 20 longas e cinco curtas em 15 anos de existência. Somados, seus filmes já foram exibidos em aproximadamente 400 festivais, em 48 países e receberam mais de 180 prêmios.

Entre eles, destaque para Narradores de Javé, com direção de Eliane Caffé, e A festa da menina morta, de Matheus Nachtergaele, selecionado no Festival de Cannes em 2008; O Palhaço, do diretor Selton Mello, que levou mais de 1,5 milhão de pessoas e foi escolhido para representar o Brasil na disputa por uma vaga no Oscar de melhor filme estrangeiro.

Em 2016, a Bananeira lançou o suspense Mate-me por favor, primeiro longa da diretora carioca Anita Rocha da Silveira, que teve estreia mundial no Festival de Veneza. Em 2017, lançou Deserto, de Guilherme Weber, e O Filme da minha vida, terceira parceria com Selton Mello. Para 2018 estão programadas as estreias de ‘Todos os Paulos do Mundo”, de Rodrigo de Oliveira e Gustavo Ribeiro, uma homenagem aos 80 anos do grande artista Paulo José, e Serial Kelly, de René Guerra, apresentando Gaby Amarantos no papel principal.

Suas coproduções La playa (Colômbia), El Ardor (Argentina) e Jauja (Argentina), tiveram estreia internacional no Festival de Cannes. Zama (Argentina), da argentina Lucrecia Martel estreou em Veneza este ano.

SOBRE A VITRINE FILMES

Em sete anos, a Vitrine Filme distribuiu mais de 100 filmes. Entre seus maiores sucessos estão “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, que alcançou mais de 200 mil espectadores; “O Som ao Redor”, de Kleber Mendonça Filho, considerado pelo New York Times um dos melhores filmes de 2012; o Americano “Frances Ha”, indicado ao Globo de Ouro em 2014; “Califórina”, filme de estreia de Marina Person, selecionado para o Festival de Tribeca; “Mãe Só Há Uma”, de Anna Muylaert, diretora do premiado “Que Horas Ela Volta?”; “Aquarius”, segundo longa de Kleber Mendonça Filho, que competiu no Festival de Cannes e levou 360 mil espectadores aos cinemas brasileiros; e o documentário “Cinema Novo”, que ganhou o prêmio “Olho de Ouro” também no festival de Cannes. Em 2017, a distribuidora lançou “O Filme da Minha Vida”, terceiro filme como diretor de Selton Mello e que já levou mais de 250 mil pessoas aos cinemas.