Com investimento na ordem de R$ 100 milhões e geração de 2 mil empregos diretos, Pólo Químico de Guaiúba inicia suas operações em fevereiro

Está cada vez mais próxima a inauguração do Pólo Químico de Guaiúba. Encabeçado pelo Sindicato das Indústrias Químicas do Estado do Ceará (Sindquímica-CE), contando com o apoio e a parceira da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC), do Governo do Estado com a Agência de Desenvolvimento do Estado do Ceará (Adece) e da Prefeitura Municipal de Guaiúba, o pólo deve “abrir suas portas” já no mês de fevereiro, com o início das operações da primeira empresa, a Intraplast. Com um investimento na ordem de R$ 100 milhões, o Pólo Químico de Guaiúba deverá gerar cerca de 2 mil empregos diretos e contará com 28 empresas do setor.

Na manhã desta quinta-feira (21), a prefeita do município de Guaiúba, Izabella Fernandes, recebeu, em sua residência, o presidente do Sindquímica-CE, Paulo César Gurgel; o vice-presidente, Beto Chaves (também presidente da Intraplast), o Diretor Industrial do sindicato, Marcos Soares; e o Diretor Financeiro, Ociran Soares; além da vice-prefeita de Guaiúba, Cleubia do Cazuza; o presidente da Câmara, vereadores, secretários do município, os deputados Denis Bezerra (federal) e Evandro Leitão (estadual) e alguns empresários do pólo para reafirmar o seu total apoio ao empreendimento. Os parlamentares presentes também se comprometeram em buscar benefícios para a viabilidade e sucesso do pólo.

Ainda na manhã de hoje, a diretoria do Sindquímica, a prefeita, os parlamentares, os vereadores, secretários e os empresários realizaram uma visita ao local do empreendimento e conheceram as instalações da Intraplast. Somente em sua primeira fase, a empresa investiu R$ 8 milhões e gerará 60 empregos diretos. A ideia é que, após 24 meses de abertura, o número de oportunidades de trabalho alcance 120. Em breve, é a vez da Fortfix também abrir suas portas no Pólo.

Sobre o setor químico no Ceará

No Ceará, o setor químico, representado pelo Sindicato das Indústrias Químicas do Estado do Ceará (Sindquímica-CE), tem faturamento anual de cerca de R$1,5 bilhão e ocupa a sexta colocação no ranking industrial do estado, com 6,3% de participação na indústria cearense. O setor emprega 13.113 pessoas em todo o estado. Já as exportações anuais ficam em torno de US$56.4 milhões, o que corresponde a 2,5% das exportações cearenses. Hoje, existem cerca de 1.010 indústrias cearenses compondo o setor químico no estado, nos segmentos de cosméticos, colchões, destilação e derivados de petróleo, farmacêuticos, plásticos, saneantes e tintas.

Com números tão expressivos, o setor é fundamental para o desenvolvimento econômico do Ceará.