Documentário “MEMÓRIAS DE FÉ NA TERRA DA LUZ” retrata ofício das rezadeiras no CE

Mestra da cultura pelo Governo do Estado do Ceará por seu ofício de rezadeira, Francisca Galdino de Oliveira – conhecida como Francisquinha Félix, vive no município de Alto Santo e recebe o povo da região em sua casa, onde planta ervas que utiliza em suas rezas. Assim como as rezadeiras, rezadores e benzedeiras que atuam em todo o Ceará, ela mantém viva a tradição que se tornou patrimônio imaterial da cultura. Essa é a inspiração do diretor e roteirista Augusto Cesar dos Santos, para realizar o documentário Memórias de Fé na Terra da Luz.

“Estamos trabalhando em cima de um tema de visceral importância para a alma cearense e cultura nordestina. Não obstante, existem poucas fontes que tratem do assunto”, destaca o cineasta. Decidiu, então, registrar in loco a atuação das rezadeiras no Ceará. O projeto conta com o apoio cultural do Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria de Cultura (SECULT), e é produzido pela Argumento Produções em parceria com a Promova e RDT. Atualmente em fase de edição, o lançamento do filme está previsto para o primeiro semestre de 2021.

Pelo Ceará

As filmagens começaram ainda em 2019 por diversas cidades cearenses, captando os depoimentos e as vivências de rezadeiras, rezadores e benzedeiras. Entre eles: José Jacinto (Pe. Linhares, Massapê); Dona Maria Alves de Lima, conhecida como Dona Zilma (Anil, Meruoca); Francisco Evandro, conhecido como Duca (Quixadá); Raimunda Elisabete Félix de Sousa, chamada por Dona Beta (Canindé); Antônia da Silva e Alice da Silva Andrade (Maranguape); Maria Helena da Silva e Maria Isabel dos Santos, da casa de Mãe Dodô (Juazeiro do Norte).

“Cada personagem encerra sua própria complexidade e modos de fazer. Alguns alegam não poder revelar o conteúdo das palavras utilizadas, outros não veem problema em rezar em voz alta e inteligível”, conta o diretor. E complementa: “Suas preces possuem uma linguagem peculiar e uma força capaz de transformar a realidade das pessoas, que, contagiadas pela crença, depositam nas rezadeiras e em suas práticas a solução de males”, destaca o diretor e roteirista.

Também foram entrevistadas pessoas que relatam suas histórias de cura, médicos, agentes de saúde e coordenadores de projetos que buscam integrar o serviço público de saúde ao atendimento das rezadeiras, além da vice-governadora do Ceará, Izolda Cela.

Na produção do longa-metragem documental que se propõe a levar para as telas as vivências das rezadeiras, o diretor conta com uma equipe formada pela produtora Raylane Neres, os fotógrafos Alex Meira e Ronaldo Roger, o captador de som direto Rozalvo Barbosa, o assistente de som Jardel Tomaz, a fotógrafa Still Gerlene Tomaz e pelos produtores de set, Renato Teles e Ronis Tomaz.

            O plano inicial de distribuição prevê o lançamento da obra na cidade de cada rezador e rezadeira, antes da entrada nos circuitos de festivais e outras janelas de distribuição. “Os filmes cearenses raramente são conhecidos pelo grande público e queremos que cada município reúna uma grande plateia para prestigiar os personagens de seu corpo cultural”, destaca a produtora.