Entenda como o câncer pode afetar a fertilidade feminina

O diagnóstico de câncer surte diversos impactos na vida de qualquer pessoa. Dentre eles, a possibilidade de se tornar infértil devido aos efeitos colaterais dos tratamentos oncológicos (quimioterapia e radioterapia) também é uma questão que merece atenção e respeito. 

De acordo com especialistas em reprodução humana, a capacidade fértil das mulheres pode ser afetada tanto devido ao próprio tumor quanto por conta dos tratamentos, que são agressivos aos óvulos. A infertilidade pode ser causada pelo câncer nos casos em que os tumores que requerem quimioterapias fortes para o tratamento, já que estas drogas podem afetar muito a qualidade dos gametas femininos.

Embora não sejam todos os tratamentos oncológicos que afetem a fertilidade e nem todos os pacientes que se submetem à quimioterapia e radioterapia apresentem alteração na capacidade fértil, é fundamental que esse tema seja conversado com um especialista em reprodução humana. 

“O médico deverá avaliar o potencial fértil basal do paciente antes do início do tratamento oncológico. Apesar do cenário de urgência do tratamento oncológico muitas vezes impossibilitar uma avaliação completa, com todas as provas de reserva ovariana com período de abstinência adequado, essa avaliação pode ser útil para a identificação o risco individual de cada paciente”, destaca o médico ginecologista e especialista em reprodução humana, da Clínica de Medicina Reprodutiva, Fábio Eugênio. 

Quimioterapia e radioterapia

A quimioterapia pode causar danos aos óvulos, aos folículos ovarianos e aos hormônios sexuais. A radiação pode causar os mesmos danos quando o tratamento ocorre no corpo todo ou próximo a certos órgãos. Esses locais incluem os órgãos reprodutores e a glândula pituitária (uma pequena glândula que produz hormônios na base do cérebro).

Frequentemente, a quimioterapia ou a radioterapia pode interromper o ciclo menstrual durante certo tempo ou torná-lo irregular. O ciclo menstrual poderá continuar ou retornar após o tratamento, porém você deve saber que menstruar nem sempre significa que está fértil. Em alguns casos, o ciclo menstrual é interrompido permanentemente. 

Preservação da fertilidade

Nos casos em que o tratamento do câncer possa levar a perda de fertilidade, o congelamento de óvulos, ou de embriões, antes da terapia da neoplasia, pode ajudar as mulheres e os casais a preservarem seu potencial reprodutivo, e serem pais e mães após a conclusão do tratamento.