Humorista Gil Soares lança projeto Buteco do Caboré, contextualizado na pandemia

Trata-se de uma comédia, adaptada para plataforma digital, em que o personagem Caboré, matuto sabido, simpático e ao mesmo tempo ranzinza, é o proprietário de um estabelecimento prestes a falir, em consequência da pandemia

O ano prestes a acabar não foi fácil de ser vivido. 2020 prendeu a todos, literalmente, e levou, com isso, não só a liberdade de ir e vir, mas, em muitos casos, entes e amigos queridos, empregos, vida social e, em muitas situações, o riso solto. As notícias, na grande maioria das vezes, levavam e ainda levam à melancolia, ao desânimo em ver e sentir o momento difícil vivenciado. Muitos setores sofreram com a pandemia, negócios foram fechados e o setor artístico foi um deles. Sem poder realizar os tradicionais shows em bares, restaurantes e casas noturnas diversas, muitos humoristas também tiveram dificuldade em trabalhar e tocar seus projetos nesse ano. Um deles foi Gil Soares, jornalista, ator, comediante há mais de 20 anos, que aproveitou o ano com pouquíssimas apresentações presenciais para pensar novos projetos e realizar algumas apresentações virtuais. E, durante a pandemia, criou um novo show, que como não poderia deixar de ser, é vivenciado no cenário de pandemia da Covid-19: o Buteco do Caboré.

Trata-se de uma comédia, adaptada para plataforma digital, em que o personagem Caboré, matuto sabido, simpático e ao mesmo tempo ranzinza, é o proprietário de um estabelecimento, localizado no bairro Vila Velha, em Fortaleza-CE. Seu “buteco” está preste a falir, assim como muitos outros, em consequência da pandemia. Caboré, no entanto, não aceita essa derrota para a Covid-19. Não ter com quem discutir, contar piadas, falar de futebol, da economia e da vida alheia para ele é pior que a morte. Mesmo com medo de contrair a doença, ele adota todas as medidas de prevenção e faz de tudo para recuperar seu negócio. Como um bom cearense, com fé e perseverança, Caboré vai à luta. Sem dinheiro para pagar suas contas, ele acumula funções: é balconista, faxineiro e a atração artística principal do “buteco”. Além disso, articula os amigos artistas para fazer shows de graça no “buteco”, com o intuito de trazer seus clientes de volta e atrair os novos. Caboré seguirá todos os protocolos sanitários para reencontrar os amigos e clientes com segurança. Neste reencontro não vão faltar piadas, músicas, assuntos diversos e muitas “mungangas”.

Gil Soares, autor do projeto, fala da proposta do novo show, que será exibido, inicialmente, em seu canal no YouTube, com estreia no próximo dia 15: “O Buteco do Caboré é a molecagem cearense raiz, na mais pura expressão popular, sem apelos pornográficos, sem preconceitos, com a cara do povão, com a cara dessa gente que, apesar de tudo, rir até de suas adversidades. Neste momento desafiador, de tristezas profundas causadas pela pandemia, mais do que nunca, as pessoas precisam de bom humor, alegria para aliviar e superar suas dores, seus sofrimentos. Com o objetivo de aliviar o estresse, a melancolia e refletir sobre esse momento que estamos passando, foi que criamos esse projeto”.

O novo show contará com participações especiais: os humoristas Jardson Cavalcante (Titela), Fei que Foi, Polegar, Oscabritto, Regina Macaúba e a banda Peixe Suado, com Carlinhos Perdigão (baterista), Marcelo Justa (guitarrista / vocal) e João Paulo (baixista / vocal).

Os interessados poderão conferir a apresentação do projeto, em primeira mão, no canal do humorista “GilSoaresCabore”, nesta sexta-feira, 15 de janeiro, a partir das 19 horas. A iniciativa conta com o apoio do Governo Federal e da Prefeitura Municipal de Fortaleza, por meio do Edital Fomento a Artistas, Agentes Culturais e Profissionais da Cadeia Produtiva da Cultura da Secretaria Municial da Cultura de Fortaleza (Secultfor), com recursos oriundos da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, por meio da Lei 14.018/2020 (Lei Aldir Blanc), além da parceria do Restaurante Maria Chica.