Mercado gastronômico amplia serviços de entrega e vendas online para atravessar quarentena

Como se reinventar em tempos de uma pandemia que provocou o isolamento social, no sentido de manter a saúde dos negócios, levando, ao mesmo tempo, serviços de qualidade? O que os empresários estão fazendo para minimizar os impactos gerados nesse período de incertezas e recessão econômica? Diante desse cenário, muitas empresas estão buscando novas estratégias para evitar o encerramento de atividades além de manter suas receitas.

Juazeiro do Norte se destaca no Estado como um significante polo gastronômico. Segundo dados da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Inovação (Sedeci), é responsável por uma demanda no total de 12.568 negócios de Serviços, e em tempos de Coronavírus, a cidade precisou mudar sua rotina.

Para o Gerente de Negócios Estratégicos do Sesc-Senac no Cariri, Isaac Coimbra, “é importante buscarmos alternativas de forma planejada para minimizar o impacto da pandemia em nossa região. Não há receita pronta para as empresas, cada empresário terá que construir seu plano de ação dentro da realidade do seu negócio, pensando medidas para agora e para retomada do crescimento que logo virá ”, destaca.

Isaac aconselha pensar fora da caixa, pesquisando o que outras empresas do seu setor estão fazendo. “Por meio das consultorias do Senac, acompanhamos muitas empresas do setor de Alimentos e Bebidas do Cariri, elas estão se reinventando apesar de não abrir para o público, quem se reinventou está conseguindo manter as vendas através do delivery, por exemplo.”, afirma.

Parceiro do Senac no Cariri, e sendo referência por manter uma tradição de 20 anos no do Cariri, o Sirigado do Pedro foi um dos restaurantes a implantar medidas estratégicas para o seu funcionamento. “Desde o primeiro dia do fechamento do comércio tivemos como uma das primeiras medidas mudar o horário de funcionamento, antes era só à noite, e agora é o dia todo com almoço e jantar. Nessa logística, tivemos uma surpresa significativa de uma procurar muito grande para o almoço e jantar. Com isso entramos com valor promocional de todos os pratos”, disse o diretor do empreendimento João Pinheiro.

Visando custo e benefício, o restaurante encontrou alternativas em opções mais populares. “Por nosso empreendimento ser considerado de um nível mais alto da região, focamos também em pratos promocionais de comidas consideradas tradicionais, do dia a dia, a exemplos dos que têm molhos de tomate, madeira, o Filé à Parmegiana, entre outros”, declarou Pinheiro. Ainda segundo o diretor, o Sirigado do Pedro dobrou o número de pedidos feitos por delivery, medida que fez com que apostassem também em promoções  voltadas para bebidas e sobremesas.

Dicas de como inovar e minimizar impactos em pequenas empresas em tempos de Coronavírus

Você que é do comércio deve estar preocupado com o impacto do novo Covid-19 (Coronavírus) na economia. Se você é profissional autônomo, é um micro empreendedor individual (MEI) ou tem uma micro ou uma pequena empresa, já deve ter sentido as mudanças nos negócios nesse período de isolamento social, necessário para conter o avanço da pandemia.

O consultor de produtos educacionais do Senac Ceará na área de Gestão e Negócios, Wagner Forte, dá 10 dicas que podem ser adotadas para minimizar esse impacto.

  1. O principal questionamento é: como chegar ao meu cliente nesse período? Analise onde a empresa está inserida e quais produtos e serviços podem ser adaptados. A partir daí, é possível planejar como fazer essa adaptação a baixo custo, só assim poderá ter sucesso.
  2. Uma solução de baixo custo é a criação de perfis da empresa nas principais mídias sociais (Instagram e Facebook), para informar o cliente sobre os produtos e serviços que está ofertando e a forma como o cliente pode ter acesso. Não esqueça de informar também os procedimentos de higienização que a empresa adota para garantir a segurança de colaboradores e clientes, impedindo a propagação do Coronavírus.
  3. Ao divulgar o produto ou serviço, a sua empresa deve estar preparada para atender os clientes, desde o recebimento do pedido, incluindo disponibilidade de forma de pagamento, separação do produto, entrega e pós-venda (satisfação do cliente).
  4. Para aquelas empresas que ainda não ingressaram nas vendas online, é importante que o empresário conheça seu público-alvo (clientes) para ser mais assertivo na divulgação nas redes sociais, além de ter uma plataforma de venda online.
  5. Para adquirir o serviço de uma plataforma de venda online, a recomendação é avaliar as diferentes plataformas disponíveis no mercado e buscar a que mais se adequa às necessidades e ao perfil do seu negócio.
  6. Para aqueles que não desejam aderir a uma plataforma de comércio eletrônico, é indicado, pelo menos, disponibilizar um canal de atendimento para os clientes, podendo ser até o WhatsApp.
  7. Em termos de planejamento, é essencial conhecer todos os custos de seu negócio, para determinar quais os custos essenciais para continuar operando e custear e/ou reduzir os demais.
  8. É fundamental saber negociar com seus fornecedores, pois neste momento de queda do faturamento o empresário tem que ter fôlego para manter os gastos e despesas que não podem ser adiados, ou seja, negocie melhores prazos com seus fornecedores.
  9. Cuide de seus colaboradores, pois com certeza eles são os maiores interessados em que sua empresa tenha sucesso, pois se trata uma questão de sobrevivência para eles.
  10. Atribua novas funções aos seus colaboradores, direcionando para as novas demandas que surgem ao implantar as vendas online. Ex. Os vendedores de atendimento direto podem separar, embalar e entregar os produtos, sempre priorizando a segurança em todos os processos.