Pingo de Fortaleza de volta ao tema de Canudos com o documentário “Centauros e Canudos Redivivo”

O artista Pingo de Fortaleza revisita o tema de Canudos e lança essa semana o documentário “Centauros e Canudos Redivivo”. Os lançamentos acontecem nessa terça-feira, 10, às 15h, na Escola de campo Irmã Tereza (Assentamento Nova Canaã, Lacerda, Quixeramobim-CE), e na quarta-feira, às 9h, na Universidade de Quixeramobim (Uniq), ambos os lançamentos fazem parte da parte da programação Conselheiro Vivo 2020. Já na sexta-feira, 13, às 19h30, o documentário será exibido em Fortaleza, no Auditório da ADUFC (Av. da Universidade, 2346, Benfica). 

A comunidade do Belo Monte (Canudos) foi abordada no primeiro disco de Pingo de Fortaleza intitulado “Centauros e Canudos” (LP), em 1986. “Esse LP me levou pra cantar na missa pelos Mártires de Canudos, me fez ganhar o sobrenome “Fortaleza” incluído no cartaz dessa missa, me propiciou trabalhar com o ator José Dumont e me abriu muito outros caminhos, desde então sempre revisito essa temática através de meus trabalhos”, declara Pingo de Fortaleza.

Foi assim que em 2018  Pingo lançou o LP/CD Centauros e Canudos Redivivo, um disco que trás  em grande parte os arranjos originais do LP de 1986 com nova voz e algumas novas faixas sobre o tema. O “O Centauros e Canudos” ficou mais conselheirista”, afirma o artista.

Tendo como base as canções do disco “Centauros e Canudos Redivivo” e suas viagens de lançamento em Quixeramobim e na região de Canudos (Monte Santo, Uauá, Nova Canudos, e Açude de Cocorobó), Pingo de Fortaleza, desenvolveu o roteiro e a direção do documentário homônimo ao disco.

No documentário Centauros e Canudos Redivivo, Pingo narra cronologicamente a história dessa epopeia brasileira desde a ambientação no sertão, a biografia de Antônio Conselheiro, suas andanças pelo Nordeste, a fundação da  comunidade do Belo, a guerra e suas expedições e  o legado de Canudos no processo criativo de múltiplos artistas e do próprio Pingo de Fortaleza.

Além do aspecto didático que o documentário apresenta o que o diferencia na narrativa da história de Canudos são os 8 clipes das canções de Pingo de Fortaleza e seus parceiros, que intercalam os textos lidos pelo artista, pois as canções são bem menos literais que os textos e apresentam uma infinidade de imagens e simbolismos interpretativos sobre o inesgotável tema de Canudos e de uma maneira distinta também contribuem na narrativa da história de Canudos presente no documentário.

Para dar vida ao documentário Pingo se valeu além das imagens de suas passagens pela região de Canudos e de Quixeramobim,  de um conjunto de elementos visuais que dão vida imagética ao tema, desde as fotos históricas de Flávio de Barros, que cobriu a guerra de Canudos, até  fotos do baiano Antônio Olavo que acompanha as celebrações e romarias de Canudos desde o início da década de 1980 e fotografou sobreviventes de Canudos, além de usar imagens  das telas dos artistas Descartes Gadelha e Trípoli Gaudenzi  que narram a história de Canudos e muitas imagens e vídeos ambientados no sertão nordestino, palco dos acontecimentos que culminaram com a destruição completa da comunidade do Belo Monte, em 05 de outubro de 1897.

Este é o quinto trabalho audiovisual de Pingo de Fortaleza, que inclui em seu currículo como diretor os documentários, “Pérolas do Centauro – Um relato da Música Cearense “ em parceria com Vinícius Alves e “Mulheres na Noite – Música em Fortaleza, que será exibido dia 29/03 no Cineteatro São Luiz, juntamente com um show das cantores da noite protagonistas do documentário, e os DVDs musicais “Um Cada UM…Um Cada Sol…” do Maracatu Solar e “Afinidades – Pingo de Fortaleza ao Vivo”.

O Documentário Centauros e Canudos Redivivo, tem duração de 43min, edição e finalização de Marco Rudolf, e é uma produção totalmente independente assinada pela Solar (Associação Cultural Solidariedade e Arte). A entrada em todos os lançamentos é gratuita.

Serviço

Lançamentos do documentário “Centauros e Canudos Redivivo”, direção: Pingo de Fortaleza

Dia 10/03, às 15h  
Escola de campo Irmã Tereza
Assentamento Nova Canaã, Lacerda, Quixeramobim-CE

Dia 11/03, às 09h  
Universidade de Quixeramobim (Uniq)
Centro de Quixemobim

Dia 13/03,  às 19h30

Auditório da ADUFC

Av. da Universidade, 2346, Benfica-Fortaleza-CE 

A entrada em todos os lançamentos é gratuita.

Informações: (85) 3226 1189