Presidente do CIC visita Condomínio de Empreendedorismo e Inovação da UFC

Marcos Soares ressalta parceria para formar e manter mão-de-obra qualificada no Ceará. O Condomínio da UFC segue uma tendência da construção de parcerias para fortalecer o segmento. O Ceará conta também com o Condomínio Industrial Químico de Guaiúba na Região Metropolitana 

O objetivo do CIC, segundo Marcos Soares (5º da direita para a esquerda) é estabelecer mais parcerias com a universidade federal. (Foto: CIC)

O presidente do Centro Industrial do Ceará (CIC), Marcos Soares, participou nesta quinta-feira (30) de visita ao Condomínio de Empreendedorismo e Inovação da Universidade Federal do Ceará (UFC), no campus do Pici, em Fortaleza. O encontro contou ainda com a participação de comitiva, com destaque para o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), Ricardo Cavalcante; do reitor da UFC, Cândido Albuquerque; do presidente do Sistema Fecomércio, Maurício Filizola e do diretor de inovação da Fiec, José Sampaio.


“A inovação é uma demanda propulsora essencial na indústria, especialmente para atravessarmos os momentos difíceis. Trabalhar com a UFC e com outras instituições que apostam no desenvolvimento de pesquisas para favorecer o empreendedorismo é fundamental para o CIC”, explica Marcos Soares. 

Condomínio Industrial

O objetivo do CIC é estabelecer mais parcerias com a universidade federal. Entre essas perspectivas de parcerias, o CIC vislumbra fomentar mais desenvolvimento para o Condomínio Industrial Químico de Guaiuba, iniciativa que reúne inicialmente 25 empresas e deve gerar cerca de dois mil empregos diretos.O Centro Industrial Cearense é uma instituição criada em 2019 que integra o Sistema Fiec e apoia fortemente a Federação na otimização de negócios e na internacionalização da indústria cearense. “Uma indústria forte movimenta comércio e serviços”, destaca Marcos Soares, que está à frente da entidade para o biênio 2020-2022.


O empreendimento do setor industrial reúne inicialmente 25 empresas e deve gerar cerca de dois mil empregos diretos. Um reforço para a atividade industrial no estado. A expectativa é o polo de Guaiuba esteja em funcionamento até 2022.