Qualificação profissional garante maior reinserção no mercado de trabalho no pós-pandemia

O estudo “Empregabilidade e Ensino Superior em tempos de pandemia”, realizado recentemente pelo Instituto Semesp, apontou que a chance de desemprego é quase 50% menor para as pessoas com nível superior completo em relação às pessoas com nível fundamental ou médio completos.

O Instituto projetou a empregabilidade por nível de instrução. Enquanto o número de vínculos empregatícios deve diminuir 14,7% e 5,3% para quem tem ensino fundamental e médio, respectivamente, o percentual deve cair apenas 1,3% para quem possui ensino superior completo, mantendo-se praticamente estável.

O professor Ricardo Coimbra do curso de economia do Centro Universitário UniFanor e presidente do Corecon-CE reforça que diante desse cenário de pandemia a qualificação profissional é importante sobretudo para uma futura reinserção no mercado de trabalho após a retomada das atividades. “O processo de qualificação do profissional, seja na competência ou na relação interpessoal, será extremamente importante para a reinserção no mercado, para que o profissional consiga no processo de retomada da atividade econômica se diferenciar diante dos concorrentes. Ou seja, você precisa buscar uma qualificação de forma continuada, fazendo uma graduação, uma pós-graduação e cursos de extensão”, explica.

Quando o assunto é empregabilidade, o personagem principal deste tema é a educação, ou seja, a correlação entre a educação e a empregabilidade acontece mesmo em cenários sem pandemia. A pessoa que opta por ingressar em um curso superior ganha, em média, 2,5x o que ganha alguém que conta só com o ensino médio, segundo o IBGE.

Por isso, destaca Coimbra, o processo de qualificação desses profissionais tem se tornado cada vez mais determinante para esse novo mercado de trabalho. “As empresas hoje estão cada vez mais buscando por profissionais que não sejam apenas de executar aquilo que está sendo demandado, mas que têm a capacidade de desenvolver, trazer ideias, informações, projetos, perspectivas e alternativas de melhoramento para a própria empresa”, completa.