Sindipostos-CE alerta para efeitos do combustível adulterado sobre as peças do carro

O combustível adulterado é um perigo para os automóveis e para o bolso dos motoristas, podendo trazer dores de cabeça. Isso porque ele tem menor rendimento e ainda causa problemas em peças do carro, o que gera gastos extras. Pensando nisso, o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado do Ceará (Sindipostos-CE) alerta para alguns perigos.

Bicos injetores, bombas de combustíveis, sondas de oxigênio e catalisadores são algumas das peças que podem ser prejudicadas. Isso acontece devido ao percurso das substâncias e da transformação delas dentro do veículo.

“Como alguns itens desses chegam a valores muito altos, os donos do veículo muitas vezes se veem obrigados até mesmo procurar as peças em locais de desmanche, o que não garante o funcionamento efetivo delas e pode causar mais problemas”, pontua Paulo Sérgio Pereira, vice-presidente do Sindipostos-CE.

Dependendo do tipo de mistura, o motor pode ser drasticamente afetado. Quando há etanol misturado com água, a elevada temperatura somada à pressão da câmara de combustão forma um líquido melado que enferruja a rosca das velas. “Esse problema é frequente em carros mais novos, por possuírem velas de irídio, mas pode acontecer com todos os tipos”, pontua o vice-presidente.

Outro problema acontece quando óleo diesel ou solvente de borracha adulteram o combustível, uma vez que os dutos de lubrificação ficam entupidos devido a transformação do óleo em graxa.

Para identificar deve-se prestar atenção em engasgos do motor, um aumento repentino no consumo do combustível e até mesmo falhas na hora de partir com o carro. Além disso, barulhos estranhos e sistema de escape com falhas também são algumas das evidências que podem ser observadas.

“Ao perceber o problema o motorista deve ir diretamente a uma oficina mecânica e pedir que o tanque seja esvaziado, a fim de evitar o desgaste das peças”, finaliza Paulo Sérgio.