Whatsapp se torna alternativa para trabalho social com idosos

Enquanto todos buscam se proteger da ameaça da Covid-19, a preocupação com as pessoas idosas é ainda maior. O grupo está entre os mais vulneráveis ao coronavírus e por isso precisa ficar mais longe do risco de contágio. No entanto, o cenário de isolamento traz outros riscos: a solidão e a interrupção de atividades que são importantes para o bem-estar físico e emocional. O caminho para contornar esse problema foi encontrado na tecnologia.

Aplicativos de mensagem e chamadas em vídeo vêm sendo recursos cada vez mais utilizados pelas famílias para manter o contato em tempos de isolamento social. Mas a solução não se restringe aos contatos familiares. Também foi no Whatsapp que o Trabalho Social com Grupos do Sesc encontrou uma alternativa para não deixar os participantes de suas atividades desamparados nesse período crítico.

Supervisora Administrativa da Assistência do Sesc Fortaleza, Thaís Castro Monteiro, conta que a decisão levou em conta a realidade dos participantes: “Muitos idosos moram sozinhos e esse período tem sido desafiador. Então criamos uma rotina de atividades online para manter o vínculo e evitar o isolamento”. Para isso, foram criados grupos que são alimentados diariamente com materiais de estímulo cognitivo, vocal, escrita, sobre organização da rotina e outros.

O conteúdo compartilhado é criado pelos mesmos profissionais que realizam o trabalho no Sesc, uma equipe multidisciplinar formada por assistentes sociais, terapeuta ocupacional, pedagoga , cientista social e músico.  Os exercícios obedecem a uma rotina pensada pela equipe para atender às necessidades dos membros. Assim, a cada dia é proposta uma atividade com o objetivo de promover a interação, o autoconhecimento e também de exercitar a coordenação motora e as funções cognitivas. A ideia é que os idosos desempenhem as tarefas propostas e também compartilhem nos grupos os resultados. As tarefas incluem desenhos, Manualidades, jogos musicais, aquecimento vocal, desafios, dentre outras.

Thaís lembra que  “manter uma rotina saudável é fundamental nesse período” e que cultivar o vínculo com outras pessoas é muito importante para ajudar os idosos a atravessar essa fase. Para isso, a dica é “manter o contato com o idoso, através de ligações, chamadas de vídeo e mensagens positivas; é importante que o longevo se comunique com os amigos, familiares e pessoas que fazem parte da sua rotina”, explica.