Coronavírus: estudo aponta fim dos registros de infecções

A pesquisa é do professor Kleison Freitas do Centro Universitário Unifanor Wyden

Em estudo desenvolvido pelo professor de estatística Kleison Freitas, dados mostram que se a população cearense seguir com o isolamento social, no dia 14 de abril não haverá mais registro de infecções no estado.

“A meta diária de infecção, segundo o Ministério da Saúde, que levará ao achatamento da curva para que o Sistema Único de Saúde não chegue ao seu colapso, é de uma incremento de 33% diário. Após o início da quarentena, a média diária está abaixo da meta suportável estipulada, com 29%. Antes do isolamento imposto, a média estava acima de 100%”, explica o professor.

Kleison Freitas acredita que o pico, antes do achatamento da curva, será dia 03 de abril e, após isso, começará a queda nas infecções, caso a população permaneça no isolamento social.

O professor explica a necessidade de ficar em casa nesse momento, pois só assim evitará a contaminação de outras pessoas.“Com base nos dados das secretarias de saúde dos estados, comprova-se que a relação estatística entre a quantidade de infectados ao longo do tempo é de 74%, visto que o vírus fica encubado e só se manifesta com uma média de 15 dias após a infecção adquirida”, relata Kleison Freitas.