Empresas precisam de RHs para a retomada dos negócios

A missão quase impossível de unir gestores a nova rotina tem sido um papel diário aos gestores de RH e empresas que gerenciam esta responsabilidade em médias e grandes empresas. No Ceará, a Vivaz Soluções tem destacado por criar conexões, usar novas tecnologias e trabalhar o engajamento dos colaboradores.  

Com a atual crise pandêmica trouxe desafios complexos e que exigiram reações imediatas das empresas e de seus líderes.  “Quem trabalha com gestão sabe que a tomada de decisão e a pressão do mercado não são desafios simples. Mas, com a saúde das pessoas sendo diretamente impactadas, empresas devem aliar-se aos gestores de recursos humanos para driblar a pandemia e continuar sua produção”, agrega o sócio-diretor da Vivaz Soluções, Victor Ibiapina.

Nos dias atuais, todo tipo de negócio, independente do seu tamanho, principalmente as PMEs (pequenas e médias empresas), devem ter profissionais ou gerencia de RH capacitados para gerenciar as tarefas mais burocráticas.

A retomada econômica tem sido crítica para muitas empresas e alguns segmentos tendo sua falência devido à crise na saúde que afeta os negócios. Com essa fragilidade exige das empresas um maior desempenho para garantir a produtividade e, assim, se manterem competitivas no mercado.

O novo normal engloba um conjunto de aspectos, e talvez algumas empresas estejam mais preparadas do que outras para as mudanças. “O engajamento, o apoio na acolhida, a saúde mental e os que vivenciaram lutos, são vertentes capazes de alterar a rotina e produtividade de toda uma empresa. Levar em consideração é um dos pilares para refazer as estratégias e manter o equilíbrio da empresa. O RH busca encontrar as respostas e uma delas tem sido o home office”, completa a sócia-diretora da Vivaz Soluções, Maria Sousa.  

Com o aumento dos aplicativos de entrega, streaming, e outros serviços que digitalizam processos, a gestão de RH tem encontrado formas de benefícios para a sociedade e empresas, incluindo a transformação tecnológica e a ampliação de produção em home office. “Muitos colaboradores desejam ter a cultura implementada na empresa e a previsão é a liberação de dois dias em casa para quem preferir, sendo umas das saídas durante esta pandemia”, conclui Victor Ibiapina.