Campus de Medicina da Estácio em Canindé recebe autorização do MEC para operar

Com início das aulas previsto para 28 de setembro, curso de Medicina terá 50 alunos no segundo semestre e oferecerá moderna infraestrutura para aulas práticas

O Campus de Medicina da Estácio em Canindé recebeu autorização oficial do Ministério da Educação (portaria nº 210) para entrar em operação. A Unidade vai oferecer aos futuros médicos uma infraestrutura que inclui o que há de mais moderno para garantir a adequada execução do projeto pedagógico do curso. O curso de Medicina da Estácio tem duração de seis anos com aulas teóricas e práticas em laboratórios e cenários externos (unidades de saúde, policlínicas e hospitais).

Os alunos que estudarem no campus terão acesso a equipamentos com tecnologia de ponta para a prática de procedimentos médicos em simuladores/robôs, antes do contato com o paciente real, no Laboratório de Simulação Realística, além de terem acesso a estudo em realidade virtual. A instituição de ensino vai disponibilizar também laboratórios de imagenologia (para o estudo aprofundado dos exames de diagnóstico por imagem – tomografia, ressonância magnética, radiografia, entre outras), de anatomia e de técnicas cirúrgicas simuladas.  A unidade contará também com uma biblioteca completa e tecnológica, além de laboratório de informática.

“A tecnologia veio para somar e complementar os métodos de ensino já existentes, como as peças humanas cadavéricas, por exemplo. O que estamos propondo é um aprofundamento dos estudos e uma imersão ainda maior dentro do corpo humano. Os alunos receberão as informações de um jeito diferente, que emociona e muito mais conectado com a realidade deles”, explica Silvio Pessanha, Diretor Nacional de Medicina da Estácio. Além disso, destaca Pessanha, a unidade contribuirá para o desenvolvimento da área de saúde na região, formando profissionais altamente qualificados e fornecendo estrutura de ponta.  

Foram oferecidas 50 vagas para o segundo semestre de 2020 e os candidatos foram classificados e aprovados exclusivamente pela nota do ENEM – os resultados usados foram do período contemplado entre 2015 a 2019. Do total de vagas, 10% foram ofertadas com bolsa integral, sendo que os critérios para pleiteá-la foram os seguintes: ter nascido e ser residente no município de Canindé (CE), não possuir diploma de curso superior e comprovar renda familiar mensal abaixo ou até o valor de um salário mínimo e meio. O primeiro dia de aula para os alunos aprovados está previsto para o dia 28 de setembro.

“A autorização oficial do MEC chancela o alto nível de qualidade tanto do ensino quanto da infraestrutura do campus de Medicina da Estácio em Canindé e nos faz ficar cada vez mais próximos das boas-vindas aos novos alunos”, comemora Cícera Janielly Cassiano, nova gestora da Unidade.

A inauguração da sede da Estácio em Canindé faz parte da atuação emblemática da instituição que oferece alto nível de desempenho acadêmico aplicado ao curso de medicina e, por isso, foi uma das escolhidas pelo MEC para retomar o Programa Mais Médicos, implantado pelo Governo e expandir sua atuação na região em 2020 em Canindé e mais três municípios: Castanhal (PA), Iguatu (CE) e Quixadá (CE). Os novos campi, que vão se juntar aos oito já existentes, têm previsão de funcionamento entre 2020 e 2021. Juntos, podem ofertar até 240 novas vagas anuais de Medicina.

“A abertura dessas Unidades trará uma fase de maturação da nossa base e, juntas, elas serão as alavancas para o nosso crescimento, principalmente, nas regiões do interior do país. A abertura de Canindé é um marco importante para a nossa captura de valor. Hoje, a Estácio é uma das maiores escolas médicas do Brasil, com quase cinco mil alunos. Nossa estimativa é atingir a base de 10 mil alunos em todo o país até 2024, incluindo-se nessa estimativa a entrada dos alunos do FIES e do Prouni”, avalia o diretor de Maturação da Diretoria de Medicina da Estácio, Humberto Barroso da Fonseca.
Crédito da imagem: DIVULGAÇÃO